Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Get some balls

Get some balls

Amar é uma escolha

 


Como podemos descrever e escrever o que sentimos num único momento, quando tantas vezes, o que sentimos, é o acumular de tantos momentos.
Podemos amar tantas vezes quantas as vezes, que permitimos não ter medo de o fazer, podemos amar uma única vez e podemos faze-lo mil vezes.

Podemos amar tanto, de tantas formas e de tantas maneiras diferentes e podemos nunca amar.
Podemos faze-lo, porque de alguma forma somos instruídos internamente a permitir e quando por vezes não permitimos ou não queremos permitir o nosso corpo reage, impulsiona, rejeita ou abraça mas reage…de alguma forma ele reage.
Os segundo viram horas as horas viram dias e os anos passam, e os pensamentos flutuam ...tão nossos, tão cheios de sonhos, inseguros, melancólicos ou cheios de medo.
Podemos amar o homem de hoje, de ontem de amanha e não ter medo de o dizer, acima de tudo de o sentir, não recear sentir.
Podemos amar em segredo ou gritar para o mundo ouvir.
Podemos amar e simplesmente amar e podemos amar com todos os poros do nosso corpo, num respirar fundo, sem fôlego e de boca seca, sedenta nem que seja por uma só uma vez.
Podemos escolher... Amar é uma escolha, uma escolha que pede por vezes responsabilidades mas quando escolhemos amar, não são os nossos medos que mudam, mas sim as atitudes que temos perante os medos.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D